domingo, 21 de julho de 2013

Marcos Valle - Garra - 1971


Músicas
01 - Jesus Meu Rei (Paulo Sérgio Valle/ Marcos Valle)
02 - Com mais de 30 (Paulo Sérgio Valle/Marcos Valle)
03 - Garra (Paulo Sergio Valle/Marcos Valle)
04 - Black Is Beautiful (Paulo Sérgio Valle/Marcos Valle)
0
5 - Ao amigo Tom (Paulo Sérgio Valle/Osmar Milito/Marcos Valle)
06 - Paz e futebol (Paulo Sérgio Valle/Marcos Valle)
07 - Que Bandeira (Paulo Sérgio Valle/Máriozinho Rocha/Marcos Valle)
0
8 - Wanda Vidal (Paulo Sérgio Valle/Marcos Valle)
09 - Minha Voz Virá Do Sol Da América (Paulo Sérgio Valle/Marcos Valle)
10 - Vinte e seis anos de vida normal (Paulo Sérgio Valle/Marcos Valle)
11 - O cafona (Paulo Sérgio Valle/Marcos Valle)

*Discão. A 5a. é demais. Não é um som instrumental, mas é demais.


Milton Banana - No Balanço - 1983

 
 
Músicas
01 – P’ra Machucar Meu Coração (Ary Barroso) -Folhas Secas (Guilherme de Brito e Nelson Cavaquinho)
02 – Me Deixa Em Paz (Monsueto Campos Menezes/Ayrton Amorim) - Pelo Amor de Deus (Paulo Debétio/Paulinho Rezende)
03 – Agora é Cinza (Bide/Marçal) - Balanço Zona Sul (Tito Madi)
04 – Emília (Wilson Baptista/Haroldo Lobo) - Leva Meu Samba (Ataulfo Alves)
05 – A Fonte Secou (Monsueto Menezes/Tufic Lauar/Marcléo) - Mundo de Zinco (Nássara/Wilson Batista)
06 – O Samba da Minha Terra (Dorival Caymmi) - Mas Que Nada (Jorge Bem)
07 – Lá Vem a Baiana (Dorival Caymmi) - Boogie Woogie na Favela (Denis Brean)
08 – Trem das Onze (Adoniran Barbosa) - Mocinho Bonito (Billy Blanco)
09 – Bolinha de Papel (Geraldo Pereira) - De Conversa Em Conversa (Haroldo Barbosa/Lúcio Alves)
10 – Tim Tim Por Tim Tim (Haroldo Barbosa/Lúcio Alves) - Se Você Jurar (Ismael Silva/F. Alves/N. Bastos)
11 – Lata D’Água (Luiz Antônio/Jota Júnior) - Maracangalha (Dorival Caymmi)
12 – Faceira (Dorival Caymmi) - Despedida de Mangueira (Aldo Cabral/Benedito Lacerda)


*Ainda não sei quem toca com Milton Banana.


 

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Geraldo Pereira - O Rei do Samba


Geraldo Pereira - O Filme
É a próxima biografia.

Wilson Batista - Largo da Lapa


Samba do bom.

Wilson Batista - Essa noite eu tive um sonho



Esta Noite Eu Tive Um Sonho (Wilson Batista)

Saltei em Berlim, entrei num botequim,
Pedi café, pão e manteiga pra mim,
O garçom respondeu: não pode ser não !
Fiquei furioso e fui "hablar" ao patrão,
Que me recebeu com duas pedras na mão,
E me disse quatro frases em Alemão,
Néris disso, sou doutor em samba,
Venho de outra nação !
Tive vontade de comer uns bifes,
Ich nag dich, seu Fritz,
Não se resolve assim não,
Venho do Brasil,
Trago um presente pro senhor,
Esta ganha e esta perde,
Na voltinha que eu dou,

Já tinha ganho todos os marcos para mim,
Quando ouvi o ruído de um Zeppelin,
Eu acordei, tinha caído no chão,
Salsicha à noite, não faz boa digestão
.
* Grande samba.

Wilson Batista x Noel Rosa


Ainda Wilson Batista

terça-feira, 9 de julho de 2013

Os Búzicos - Show Beneficente da APAE Búzios

 

Presença do nosso amigo Ruy Castro. 21/06/2013
 
 

Os Búzicos - Festival Gastronômico

 

 
Falta gente na Banda. Dia 6 de julho de 2013.
 
 

domingo, 7 de julho de 2013

Wilson Batista - 04


Wilson Batista - 03


Wilson Batista - 02



E o Juiz Apitou!

Wilson Batista - 01



Boa impressão nunca se tem
Quando se encontra um certo alguém
Que até parece um Frankenstein
Mas como diz o rifão: por uma cara feia perde-se um bom coração
Entre os feios és o primeiro da fila
Todos reconhecem lá na Vila
Essa indireta é contigo
E depois não vá dizer
Que eu não sei o que digo
Sou teu amigo

Wilson Batista - biografia



Wilson Batista (Wilson Batista de Oliveira)
Nascido em Campos, RJ, em 03/07/1913 e falecido no Rio de Janeiro em 07/07/1968. Filho de um guarda municipal de Campos, ainda menino participou, tocando triângulo, da Lira de Apolo, banda organizada por seu tio, o maestro Ovídio Batista. Ainda na cidade natal, fez parte do Bando Corbeille de Flores, para o qual compunha algumas músicas, e, pretendendo aprender o ofício de marceneiro, frequentou o Instituto de Artes e Ofícios. No final da década de 1920, transferiu-se com a família para o Rio de Janeiro, onde logo conseguiu o emprego de acendedor de lampiões a gás da Light. Passou então a frequentar os cabarés da Lapa e o Bar Esquina do Pecado, na Praça Tiradentes, ponto de encontro de marginais e compositores, tornando-se amigo dos irmãos Meira, malandros famosos da época, cuja amizade lhe valeu várias prisões. A seguir, começou a trabalhar como eletricista e ajudante de contrarregra no Teatro Recreio. Com 16 anos, fez seu primeiro samba, Na Estrada da Vida, lançado por Araci Cortes no Teatro Recreio e gravado quatro anos depois por Luís Barbosa. Seu primeiro samba gravado foi Por Favor, Vai Embora (com Benedito Lacerda e Osvaldo Silva), pela RCA Victor, na interpretação de Patrício Teixeira, em 1932. A partir de então, passou a fazer parte da Orquestra de Romeu Malagueta, como crooner e ritmista (tocava pandeiro).
Em 1933, Almirante gravou sua batucada Barulho no Beco (com Osvaldo Silva) e três intérpretes (Francisco Alves, Castro Barbosa e Murilo Caldas) divulgaram seu samba Desacato (com Paulo Vieira), que fez muito sucesso. Sempre frequentando o mesmo ambiente de boêmia, fez a apologia do malandro no seu samba Lenço no Pescoço, gravado  em 1933 por Sílvio Caldas, que deu início à famosa polêmica com Noel Rosa, o qual respondeu no mesmo ano com Rapaz Folgado, contestando a identificação do sambista com o malandro. Sua réplica a Noel veio no samba Mocinho da Vila, recebendo então como resposta, em 1934, Feitiço da Vila (de Noel e Vadico). Continuando a polêmica, compôs Conversa Fiada, ao qual Noel contrapôs, em 1935, com o samba Palpite Infeliz. O caso terminou com dois sambas seus, Frankenstein da Vila e Terra de Cego, que não obtiveram resposta. Os dois polemistas conheceram-se entre um e outro desafio e tornaram-se grandes amigos. As músicas dessa polêmica foram reunidas, em 1953, num LP da Odeon cantadas por Roberto Paiva e Francisco Egídio – Polêmica.
Continuando sua vida de boêmio-compositor, vendendo sambas e fazendo parcerias “comerciais”, conheceu o Café Nice, na Avenida Rio Branco, o cantor e compositor Erasmo silva, com quem formou um conjunto, com Lauro Paiva ao piano e Roberto Moreno na percussão. Com o conjunto, realizou apresentações em Campos, RJ e, de volta ao Rio de Janeiro, formou, em 1936, uma dupla com Erasmo Silva – a Dupla Verde e Amarelo – que participou da vocalização da orquestra argentina Almirante Jonas, que estava de passagem pelo Rio de Janeiro, seguindo com ela para Buenos Aires, Argentina, onde ficaram por três meses ainda em 1936. De volta ao Brasil, trabalharam durante mais de um ano na Rádio Atlântica, de Santos/SP, e, depois, na Record, da capital paulista, onde também gravaram, com as irmãs Vidal, pela Columbia, seu primeiro disco, com Adeus, Adeus (Francisco Malfitano e Frazão) e Ela não Voltou (dos mesmos compositores e mais Aluísio Silva Araújo). Obtendo certo sucesso, seguiram para uma temporada em Porto Alegre/RS, voltando a São Paulo pra trabalhar na Rádio Tupi. A fama viria em 1938, quando a dupla foi contratada pela Rádio Mayrink Veiga, do Rio de Janeiro, mas já no ano seguinte, com a ida de Erasmo silva para Buenos Aires, a dupla se desfaria. Sozinho, gravou cerca de 13 músicas nesse ano, no Rio de Janeiro. Em 1939, foi apresentado por Germano Augusto ao bicheiro e malandro conhecido por China, a quem venderia muitas músicas. Nessa época, sua temática sofreu modificações. Ditadas não só pela associação a novos parceiros, mas principalmente pela influência direta de uma portaria governamental que proibia a exaltação da malandragem. Ainda em 1939, fez com Ataulfo Alves Mania da Falecida e Oh! Seu Oscar samba que se destacou no carnaval de 1940, vencendo o concurso de músicas carnavalescas do Departamento de Imprensa e Propaganda do governo federal, tendo sido gravada por Ciro Monteiro, intérprete que lançou em disco, também no mesmo ano, os seus sambas Tá Maluca (com Germano Augusto) e o Bonde de São Januário (com Ataulfo Alves), este último, grande sucesso no Carnaval de 1941. Consagrado desde então, iniciou, com diversos parceiros famosos, uma série de composições, retratando tipos cariocas, que conseguiram êxito na maioria dos Carnavais dos 20 anos seguintes. Ainda em 1940, Moreira da Silva, gravou Acertei no Milhar (com Geraldo Pereira – já vou falar dele), que se tornou um dos clássicos do samba de breque de; 1941, Vassourinhas lançou em disco outra música sua que se destacou no Carnaval de 1942, Emília, feita com Haroldo Lobo, seu parceiro ainda em Rosalina, destaque carnavalesco de 1945. Brincando com a torcida do Vasco da Gama, compôs com Augusto Garcês, no Boteco do José, que, na gravação de Lina Batista, fez sucesso no Carnaval de 1946. Três anos depois se destacaria com Pedreiro Valdemar, feito com Roberto Martins e gravado por Blecaute, e, em 1950, obteria enorme êxito com Balzaquiana (com Nássara), lançado em disco por Jorge Goulart. Sua marcha Sereia de Copacabana e o seu samba Mundo de Zinco (ambos com Nássara), este gravado por Jorge Goulart, foram muito cantados nos Carnavais de 1951 e 1952, respectivamente. Para o Carnaval de 1956, compôs com Jorge de Castro a marcha Todo Vedete, que teve problemas com a censura por suas referências ao baile de travestis do Teatro João Caetano; com o mesmo parceiro, fez para o Carnaval dos dois anos seguintes, Vagabundo Marcha da Fofoca, sendo essa última gravada pelo radialista César de Alencar. O Carnaval de 1962 foi um dos últimos de que participou, lançando, em gravação de César de Alencar, Cara Boa, marcha feita com Jorge de Castro e Alberto Jesus.
Boêmio até o fim da vida, nos seus últimos anos trabalhou como fiscal da UBC, entidade que ajudou a criar.
Discografia
Eu também sou Batista (c/ José Batista), marchinha para São JoãoMil e uma trapalhadas (c/ Sinhô), samba, s. d.
Tenor de banheiro (c/ Arnaldo Pais), marcha, s. d.
Por favor, vai embora (c/ Benedito Lacerda e Osvaldo Silva), samba, 1932
Barulho no beco (c/ Osvaldo Silva), batucada, 1933
Desacato (c/ Paulo Vieira), samba, 1933
Eu vivo sem destino (c/ Silvio Caldas e Osvaldo Silva), samba, 1933
Ladrão de corações (c/ Valfrido Silva), marcha, 1933
Lenço no pescoço, samba, 1933
Olha lá o balão (c/ Roberto Martins), marcha, 1934
Quero evitar (c/ Max Bulhões), samba, 1934
Cadê a fantasia? (c/ Valfrido silva), samba, 1935
Raiando (c/ Murilo Caldas), samba, 1935
Se você morrer (c/ Roberto Martins), marcha, 1935
Não durmo em paz (c/ Germano Augusto), samba, 1936
Frankenstein da Vila, samba, 1936
Mocinho da Vila, samba, 1936
Cansei de chorar, samba-canção, 1937
Canta... samba, 1937

Já sei (c/ L. Paiva), samba, 1937
Na estrada da vida, samba, 1937
Não devemos brigar, samba, 1937
Saudades (c/ Murilo Caldas), samba, 1938
Teu sorriso tem (c/ Roberto Martins), samba, 1938
Vale mais (c/ Marino Pinto), marcha, 1938
A Respeito do Amor (c/ Arnô Canegal), samba, 1939
Carta verde (c/ Valfrido Silva e Lima), samba, 1939
Ela é (c/ Claudionor Cruz), samba, 1939
Formosa Argentina (c/ Germano Augusto), marcha, 1939
O gato e o rato (c/ Augusto Garcez e Arnô Canegal), marcha, 1939
Inimigo do batente (c/ Germano Augusto), samba, 1939
Mania da falecida (c/ Ataulfo Alves), samba-batuque, 1939
Não sei dar adeus (c/ Ataulfo Alves), samba, 1939
Será (c/ Ataulfo Alves), samba, 1939
Acertei no Milhar (c/ Geraldo Pereira), samba de breque, 1940
Ai, ai que pena (c/ Davi Nasser), samba, 1940
Ai...Ari (c/ Jorge de Castro), samba, 1940
Artigo Nacional (c/ Germano Araujo), samba, 1940
Bonde de São Januário (c/ Ataulfo Alves), samba, 1940
Brigamos outra vez (c/ Marino Pinto), samba, 1940
Cego de amor (c/ Geraldo Pereira), samba, 1940
Cida de São Sebastião (c/ Nássara), samba, 1940
Cow-boy do amor (c/ Roberto Martins), marcha, 1940
Depois da discussão (c/ Marino Pinto), samba, 1940
Deus no céu e ela na terra (c/ Marino Pinto), samba, 1940
Ganha-se pouco mas é divertido (c/ Ciro de Sousa), choro, 1940
Gênio mau (c/ Rubens Soares), samba, 1940
Hildebrando (c/ Haroldo Lobo), samba, 1940
História de criança (c/ Germano augusto), samba, 1940
Mulher do seu Oscar (c/ Ataulfo Alves), samba, 1940
Oh! Dona Inês (c/ Marino Pinto), samba, 1940
Refletindo bem (c/ Cascata), samba, 1940
O Senhor do Bonfim te enganou (c/ Claudionor Cruz e Pedro Caetano), samba-batuque, 1940
Tá maluca (c/ Germano Augusto), samba, 1940
Tenho que fugir (c/ Germano Augusto), choro, 1940
A voz do sangue (c/ Valfrido Silva), samba, 1940
Boca de siri (c/ Germano Augusto), choro, 1941
Chinelo velho (c/ Marino Pinto), samba, 1941
Cocktail de 44 (c/ Haroldo Lobo), samba, 1941
Com açúcar (c/ Darci de Oliveira), batucada, 1941
Depois que a saúda passou (c/ Jorge de Castro), samba, 1941
Essa vida não é sopa (c/ Haroldo Lobo), marcha, 1941
Esta noite eu tive um sonho (c/ Moreira da Silva), samba, 1941
Estás no meu caderno (c/ Benedito Lacerda e Osvaldo Silva), samba, 1941
Eu não sou daqui (c/ Ataulfo Alves), samba, 1941
Eu sou de Niterói (c/ Ataulfo Alves), samba, 1941
Faz um homem enlouquecer (c/ Ataulfo Alves), samba, 1941
Grito das selvas (c/ Augusto Garcez), marcha, 1941
Mariposa (c/ João da Baiana), marcha, 1941
Mulher que eu gosto (c/ Ciro de Sousa), samba, 1941
N-A-O-ti, Não (c/ Marino Pinto), samba, 1941
Oh! Seu Oscar (c/ Ataulfo Alves), samba, 1941
Olho nela (c/ Germano Augusto), samba, 1941
Um pedaço de mim (c/ Cristóvão de Alencar), samba, 1941
Preconceito (c/ Marino Pinto), samba, 1941
Quando dei adeus (c/ Ataulfo Alves), samba, 1941
Virou, virou... (c/ Roberto Martins), batucada, 1941
Duas janelas (c/ Jorge Faraj), samba, 1942
É mato (c/ Alvaiade), batucada, 1942
Emília (c/ Haroldo Lobo), samba, 1942
Essa mulher tem qualquer coisa na cabeça (c/ Cristóvão de Alencar), samba, 1942
Largo da Lapa (c/ Marino Pinto), samba, 1942
No mundo da lua (c/ Zé da Zilda), samba, 1942
Papai não vai (c/ Ataulfo Alves), samba, 1942
Pertinho do céu (c/ Roberto Martins), samba, 1942
Senhor do Corcovado (c/ Roberto Martins), samba, 1942
Terra boa (c/ Ataulfo Alves), samba, 1942
Vinte e cinco anos (c/ Cristóvão de Alencar), samba, 1942
Você é meu xodó (c/ Ataulfo Alves), samba, 1942
Apesar dos pesares (c/ Jorge de Castro), samba, 1943
Coisas do destino, samba, 1943
Diagnóstico (c/ Germano Augusto), samba, 1943
Fala, baiano (c/ Roberto Martins), samba, 1943
Gosto mais do Salgueiro (c/ Germano Augusto), samba, 1943
O Juca do Pandeiro (c/ Augusto Garcez), samba, 1943
Lá vem Mangueira (c/ Jorge de Castro e Haroldo Lobo), samba, 1943
Meus vinte anos (c/ Sílvio Caldas), samba, 1943
Não é economia (c/ Haroldo Lobo), samba, 1943
Vou botar no fogo (c/ Nássara), samba, 1943
Botões de laranjeiras (c/ Jorge de Castro), samba, 1944
E o cinquenta e seis não veio? (c/ Haroldo Lobo), samba, 1944
É tudo meu (c/ Nássara), samba, 1944
Guiomar (c/ Haroldo Lobo), samba, 1944
Louco (c/ Antônio Almeida), samba, 1944
Não tenho juízo (c/ Haroldo Lobo), samba, 1944
O princípio do fim (c/ Jorge de Castro), samba, 1944
Quero um samba (c/ Valdemar Gomes), samba, 1944
Sabotagem no morro (c/ Haroldo Lobo), samba, 1944
Sambei vinte e quatro horas (c/ Haroldo Lobo), samba, 1944
Se não fosse eu... (c/ Haroldo Lobo e Jorge de Castro), samba, 1944
Você já foi a São Paulo (c/ Jorge de Castro), samba, 1944
Abolição (c/ Orestes Barbosa), samba, 1945
Apaguei o nome dela (c/ Jorge de Castro e Haroldo Lobo), samba, 1945
Cabo Laurindo (c/ Haroldo Lobo), samba, 1945
Como se faz uma cuíca (c/ Haroldo Lobo), samba, 1945
Hilda (c/ Haroldo Lobo), samba, 1945
Lavei as mãos (c/ Marino Pinto), samba, 1945
O mundo às avessas (c/ Haroldo Lobo), marcha, 1945
Não era assim (c/ Haroldo Lobo), samba, 1945
No boteco do José (c/ Augusto Garcez), marcha, 1945
Nosso presidente continua (c/ Haroldo Lobo), samba, 1945
Outras mulheres (c/ Jorge de Castro), samba, 1945
Parabéns pra você (c/ Roberto Martins), samba, 1945
Recado que a Maria mandou (c/ Haroldo Lobo), samba, 1945
Rosalina (c/ Haroldo Lobo), samba, 1945
O Alberto Bronquiou (c/ Haroldo Lobo), samba, 1946
Benedito não é de briga (c/ Germano augusto), samba, 1946
Cabelo branco (c/ Orestes Barbosa), samba, 1946
Calúnia (c/ Erasmo silva), samba, 1946
Comício em Mangueira (c/ Germano Augusto), samba, 1946
Elza (c/ Vicente Longo e Valdemar Camargo), marcha, 1946
Interessante (c/ Erasmo silva), samba, 1946
Louco (ela é seu mundo) (c/ Henrique de Almeida), samba, 1946
Margarida (c/ Haroldo Lobo), samba, 1946
Memórias de torcedor (c/ Geraldo Gomes), samba, 1946
Não sou Manuel (c/ Roberto Martins), marcha, 1946
Que papagaio sou eu? (c/ Henrique de Almeida), samba, 1946
Trinta e três (c/ Jorge de Castro), samba, 1946
Abigail (c/ Orestes Barbosa), samba, 1947
Argentina (c/ Newton Teixeira), marcha, 1947
Gostei de você (c/ Arlindo Marques Junior), samba, 1947
Doutor quer falar com você (c/ Alberto Maia), samba, 1948
Mal-agradecido (c/ Buci Moreira), samba, 1948
Cadê a Jane? (c/Erasmo Silva), samba, 1949
Casa vazia (c/ Erasmo Silva), samba, 1949
Casinha pequenina (c/ Murilo Caldas), marcha, 1949
Fantoche (c/ Américo Seixas), samba-canção, 1949
Ódio (c/ Paulo Marques), samba, 1949
Pedreiro Valdemar (c/ Roberto Martins), marcha, 1949
Taberna (Você me condena) (c/ Cícero Nunes), samba, 1949
Vulto (c/ Marino Pinto), samba-canção, 1949
Balzaquiana (c/ Nássara), marcha, 1950
Cala a boca Etelvina (c/ Antônio Almeida), samba, 195
Chico Brito (c/ Afonso Teixeira), samba, 1950
Complexo (c/ Magno de Oliveira), samba, 1950
Datilógrafa (c/ Jorge Faraj), samba-canção, 1950
Derrota (c/ José Batista), samba, 1950
Filomena, cadê o meu (c/ Antônio Almeida), samba, 1950
Homem marcado (c/ Erasmo Silva), samba, 1950
Lar vazio (c/ Nóbrega de Macedo), choro, 1950
Miss Mangueira (c/ Antônio Almeida), samba, 1950
No fim da estrada (c/ Nóbrega de Macedo), samba, 1950
Pausa para meditação (c/ Américo Seixas), samba-canção, 1950
Senhor açougueiro (c/ Erasmo Silva), marcha, 1950
Só vejo você (c/ Roberto Martins), fox-canção, 1950
meu amor (c/ Erasmo Silva), samba, 1950


Ai, ai meu Deus (c/ Ataulfo Alves), samba, 1951
Amor perfeito (c/ Ataulfo Alves), marcha, 1951
Amor que maltrata (c/ Jorge de Castro), samba, 1951
O coração é meu (c/ Erasmo Silva), samba, 1951
Imploro uma esmola (c/ Antônio Almeida), samba, 1951
Intriga (c/ Magno de Oliveira), samba, 1951
Meu drama (c/ Ataulfo Alves), samba, 1951
Mundo cruel (c/ Paulo Marques), samba, 1951
O mundo vai se admirar (c/ Erasmo Silva), samba, 1951
Não to charlando (c/ Jorge de Castro), samba, 1951
Pindamonhangaba (c/ Pedro Caetano), marcha, 1951
Sereia de Copacabana (c/ Nássara), marcha, 1951
A vaca Vitória (c/ Jorge Murad), marcha, 1951
Velho marinheiro (c/ Alberto Ribeiro), samba, 1951
Anjo cruel (c/ Alberto Rego), samba, 1952
Até Jesus (c/ Ataulfo Alves), samba, 1952
Dona Elvira (c/ Aldo Cabral), marcha, 1952
Felicíssimo (c/ Alberto Jesus), samba, 1952
Flor da Lapa (c/ César Brasil), samba, 1952
Foi milagre (c/ Nássara), samba, 1952
Garota dos discos (c/ Afonso Teixeira), samba, 1952
Minha linda hindu (c/ Nássara), marcha, 1952
Mundo de zinco (c/ Nássara), samba, 1952
Nasci cansado (c/ Henrique Alves), marcha, 1952
Olhos vermelhos (c/ Roberto Martins), samba, 1952
Passou (c/ Magno de Oliveira), samba, 1952
Pombinha branca (c/ Nássara), marcha, 1952
Samba do Meyer (c/ Dunga), 1952
Só apanho resfriado (c/ Erasmo Silva), marcha, 1952
Abandonada (c/ Ari Monteiro e Alberto Rego), samba, 1953
Baião de São Pedro (c/ Alberto Rego), baião, 1953
Chico viola (c/ Nássara), samba, 1953
O cinzeiro da Zazá (c/ Nássara), marcha, 1953
Conversa fiada, samba, 1953
Dez minutos de amor (c/ Valdemar Gomes), samba, 1953
História da favela (c/ Nássara), samba, 1953
Matéria plástica (c/ Jair Amorim), marcha, 1953
Mercador (c/ Ari Monteiro), marcha, 1953
Sistema nervoso (c/ Roberto Roberti), samba-canção, 1953
Só para mulheres (c/ Ari Monteiro), marcha, 1953
Suplício (c/ Nóbrega de Macedo e Brasinha), samba, 1953
Tá na cara (c/ Carlos Machado), marcha, 1953
Terra de cego, samba, 1953
Tu não me dizes (c/Erasmo Silva), samba, 1953
Volúvel (c/ Oldemar Magalhães e César Brasil), samba, 1953
Bastião (c/ Brasinha), samba, 1954
A carta (c/ José Batista), samba, 1954
Uma casa brasileira (c/ Everaldo Barros), marcha, 1954
Desejo (c/ Jorge de Castro), samba, 1954
Don Juan (c/ Bruno Ferreira), marcha, 1954
Drama de amor (c/ Jorge de Castro), samba-canção, 1954
Mãe solteira (c/ Jorge de Castro), samba, 1954
A Mão do Alcides (c/ Bento G. F. Gomes e Bruno Ferreira Gomes), marcha, 1954
Marcha do bombeiro (c/ Américo Pires), 1954
Marcha do cau-cau, 1954
Martírio (c/ Roberto Roberti e Arlindo Marques Junior), samba, 1954
Meia-noite (c/ José Batista e Brasinha), marcha, 1954
Miss Brasil (c/ Jorge de Castro e Américo Seixas), marcha, 1954
Pé de ouro (c/ Oldemar Magalhães), marcha, 1954
Timidez (c/ Marcleo), samba, 1954
Cosme e Damião (c/ Jorge de Castro), samba, 1955
Eu lhe avisei (c/ Alberto Jesus), samba, 1955
Greve da alegria (c/ Arlindo Marques Junior e Roberto Roberti), samba, 1955
Incompatibilidade (c/ Jorge de Castro), samba-canção, 1955
Inocente (c/ Brasinha e Marcelo), samba, 1955
Pierrô (c/ Jorge de Castro e Nicolau Durso), marcha, 1955
Samba rubro-negro (c/ Jorge de Castro), 1955
Tortura mental (c/ Jorge de Castro), samba-balada, 1955
Vedete (/c Jorge de Castro), samba, 1955
Anjo dos ares (c/ Jorge de Castro), samba, 1956
Um brasileiro em Paris (c/ Jorge de Castro), marcha, 1956
Dolores Sierra (c/ Jorge de Castro), samba, 1956
Marcha das fãs (c/ Jorge de Castro), 1956
Marcha do corcundinha (c/ Américo Seixas), 1956
Marcha do J.J. (c/ Jorge de Castro), 1956
Me dê meu boné (c/ Jorge de Castro), samba, 1956
Mundo de madeira (c/ Jorge de Castro), samba, 1956
Nega Luzia (c/ Jorge de Castro), samba, 1956
Noite de amor (c/ Jorge de Castro), samba, 1956
Samba do tricampeão (c/ Jorge de Castro), 1956
Sinhá moça (c/ Alberto Rego), marcha, 1956
Todo vedete (c/ Jorge de Castro), marcha, 1956
Cigano (c/ Jorge de Castro), marcha, 1957
Copacabana à noite (c/ Jorge de Castro), Fox, 1957
História da Lapa (c/ Jorge de Castro), samba, 1957
João sem teto (c/ Roberto Roberti e Arlindo Marques Junior), marcha, 1957
Levante a moral (c/ Jorge de Castro), samba, 1957
Maria da sorte (c/ Nássara), marcha, 1957
Meu assunto é sambar (c/ Lourival Ramos), batucada, 1957
No tempo do vintém (c/ Jorge de Castro), marcha, 1957
Sou um barco (c/ Alberto Rego), samba, 1957
Tião (c/ Jorge de Castro), samba, 1957
Vagabundo (c/ Jorge de Castro), samba, 1957
Vou pra Goiás (c/ Jorge de Castro e Nássara), samba, 1957
Deixai vir a mim as mulheres (c/ Jorge de Castro), marcha, 1958
Flerte (c/ Jorge de Castro), samba, 1958
Gaúcho bom (c/ Jorge de Castro e Átila Nunes), samba, 1958
Marcha da fofoca (c/ Jorge de Castro), 1958
Marcha do Pião (c/ Jorge de Castro e Nássara), 1958
Prece ao sol (c/ Jorge de Castro), samba, 1958
Rei do futebol (c/ Jorge de Castro), samba, 1958
Sempre Mangueira (c/ Jorge de Castro e Nássara), samba, 1958
Cara de pau (c/ Isaias Ferreira e Átila Nunes), marcha, 1959
Chorei por você (c/ Jorge de Castro), samba, 1959
Cinzas do amor (c/ Jorge de Castro), samba, 1959
Disse me disse, samba, 1959
Doida (c/ Jorge de Castro), samba, 1959
Garota enxuta (c/ Jorge de Castro e Átila Nunes), marcha, 1959
Mais uma taça (c/ Jorge de Castro), samba, 1959
Mané Garrincha (c/ Jorge de Castro e Nóbrega de Macedo), marcha, 1959
Marcha do boi (c/ Jorge de Castro), 1959
As Pupilas do Seu Bocage (c/ Arnaldo Pais), marcha, 1959
Sorria (c/ Jorge de Castro), samba, 1959
O último (c/ Jorge de Castro), samba, 1959
Velhice transviada (c/ Jorge de Castro), marcha, 1959
Bolha d´água (c/ Jorge de Castro), marcha, 1960
Cinderela (c/ Jorge de Castro e José Utrini), marcha, 1960
Mangueira, meu berço (c/ Jorge de Castro e Átila Nunes),samba, 1960
Marcha da galinha (c/ Jorge de Castro), 1960
Naquela base (c/ Jorge de Castro), marcha, 1960
Rosas vermelhas (c/ Jorge de Castro), samba, 1960
A Última mulher (c/ Jorge de Castro), samba, 1960
Vivaldino (c/ Jorge de Castro e José Utrini), marcha, 1960
Bolinho de cachaça (c/ Jorge de Castro e Antônio Almeida), marcha, 1961
Candango feliz (c/ Jorge de Castro e Antônio Almeida), samba, 1961
Coisas nossas (c/ Jorge de Castro), marcha, 1961
Cupido (c/ Jorge de Castro), samba, 1961
Dúvida (c/ Jorge de Castro), bolero, 1961
Festa em meus olhos (c/Jorge de Castro), samba, 1961
Fim de mundo (c/ Jorge de Castro e José Utrini), marcha, 1961
Garota bossa nova (c/ Antônio Almeida e Jorge de Castro), marcha, 1961
O homem dos bilhetinhos (c/ Jorge de Castro e Luis Wanderley), baião, 1961
Rei Pelé (c/ Jorge de Castro e Luís Wanderley), chá-chá-cha´, 1961
Samba da lanterna (c/ Jorge de Castro), 1961
Saudade (c/ Jorge de Castro e José Utrini), samba, 1961
Saudade no sangue (c/ Jorge de Castro), samba, 1961
Canção de criança sem brinquedo (c/ Ari Monteiro), 1962
Cara boa (c/ Jorge de Castro e Alberto Jesus), marcha, 1962
Heloísa (c/ Jorge de Castro e Luís Wanderley), rock-balada, 1962
Linda cubana (c/ Jorge de Castro e Jorge Neves Bastos), marcha, 1962
Mais respeito com a Bahia (c/ Luís Wanderley), samba, 1962
Mamãe orando (c/ Paulo Gesta), samba-canção, 1962
Meu viver (c/ Jorge de Castro e Verinha Falcão), marcha, 1962
Na base do amendoim (c/ Jorge de Castro), marcha, 1962
Presente do céu (c/ Jorge de Castro), marcha, 1962
Skindô (c/ Luís Wanderley), samba, 1962
Sofia Loren (c/ Jorge de Castro), chá-chá-chá, 1962
Conversa dos olhos (c/ Jorge de Castro), bolero, 1963
Despejo (c/ José Batista), samba, 1963
Dezesseis é leão (c/ José Batista), samba, 1963
Eu e o mar (c/ José Batista), samba-canção, 1963
Teresinha (c/ José Batista), marcha, 1963
Consuelo (c/ José Batista), bolero, 1964
Paulistinha (c/ Osvaldo Morigge), marcha, 1964
Rio Quatrocentão (c/ Luís Wanderley), marcha, 1964
Tango do amor (c/ Manuel Cartaz), tango, 1964
Índio Perpétuo (c/ Alberto Jesus e Paulinho), samba, 1965
Juvenal (c/ Jorge de Castro), samba, 1965
Olha a cara desse boneco (c/ Jorge de Castro e Luís Wanderley), marcha, 1965
Parabéns (c/ Alberto Jesus), samba, 1965
Se eu fosse pintor (c/ Ataulfo Alves), samba, 1965
Carmen (c/ Jorge de Castro e W. Levita), marcha, 1966
Meu mundo é hoje (c/ José Batista), samba, 1966
Volta pra casa, Emília (c/ Antônio Almeida), samba, 1966
Bom é ele (c/ Alberto Jesus), samba, 1967
Bonjour, meu Rio (c/ Álvaro Matos e Antônio Barbosa Freitas),marcha, 1967
Conversa de mercadinho (c/ Álvaro Matos e Antônio Barbosa de Freitas), marcha, 1967
Despedida cruel (c/ Álvaro Matos e Antônio Barbosa Freitas), samba, 1967
Direito de sambar (c/ Antônio Barbosa Freitas), samba, 1967
Maria Isabel (c/ Erasmo Silva), samba, 1967
Sou fã da jovem guarda (c/ Antônio Barbosa Freitas e L. França Santos), marcha, 1967
Carcará chegou (c/ Antônio Barbosa Freitas e W. Levita), marcha, 1968
A Nova Lapa (c/ José Batista e Antônio B. de Freitas), samba, 1969
Vou jogar meu pandeiro fora (c/ Arnô Provenzano e José P. silva Junior), samba, 1969
Um baile na Chacrinha (c/ José Batista), marcha, 1970


* Dados extraídos da Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora Ltda. - São Paulo - 1977

* Algumas datas estão sendo revistas. Conto com vocês.

No site abaixo vocês encontram muitas músicas de Wilson Batista interpretada por diversos cantores.

http://www.ouvirmusica.com.br/wilson-batista/1203044/#mais-acessadas/1203046



quarta-feira, 3 de julho de 2013