segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Airto Moreira_Fingers_1973



Estou atendendo a um pedido de um parceiro que me pediu essa bolacha. Na pista Fingers do Airto, com direito a mosca. Este disco tinha tudo pra ser uma pauleira: boa música, harmonia rebuscada, uma cozinha impecável, funk de primeira, forró cheio de sacanagem, só fera. Além do próprio Airto que dá garantia de maré cheia. Mas, a qualidade do som, a gravação, é fraquinha, meio garagem. Resumindo: muita gente boa e mal gravada. Em 1973, idade do disco, já se gravava com um monte de canais. Pink Floyd abusou. Aliás, ainda vou escrever sobre este ano. Parece que todo mundo gravou os seus melhores discos em 73. Menos o Airto que estava fazendo os arranjos para sua mulher deitar e rolar no disco Borboleta do Santana no início de 74. Esse disco rendeu pra Flora uns Grammy e uma grana legal. Imagina uma brasileira meio clandestina ser considerada a maior cantora de jazz. Nessa época Airto não sabia se investia na sua carreira ou na da mulher. Ficou meio chapado. Quem colocou o cara na pista novamente foi Al Dimeola. Mas aí é outra história. Depois eu conto.

* Esse disco é fácil de achar.