segunda-feira, 25 de julho de 2016

Pequena História da Música Popular - 1974


Tinhorão é um dos maiores pesquisadores da música popular brasileira. Autor polêmico devido ao seu nacionalismo exacerbado, com opiniões quase sempre dissonantes, e, até radicais. Mas, sem dúvida, é uma grande fonte de pesquisa da MPB. Um livro indispensável. Tinhorão usou todos os meios de comunicação para falar sobre música brasileira, para mim é o que mais entende do assunto. A conferir.





Da Bossa Nova À Tropicália - 2001



Santuza Cambraia Naves (1952-2012)

É um livro fino de apenas umas 70 páginas, mas que aborda de maneira breve o período Bossa Nova - Tropicália. Para aqueles que chegaram agora é um texto enxuto sobre o período.



quinta-feira, 14 de julho de 2016

Cesar Camargo Mariano - Solo - 2011



César Camargo Mariano nasceu em 19/09/1942 em São Paulo
Pianista e arranjador de mão cheia, junto com Luiz Eça, forma a dupla de gênios do piano brasileiro contemporâneo. César Camargo aos 14 anos já era considerado menino-prodígio tocando de ouvido. Ainda garoto conhece Johnny Alf que lhe ensina um pouco de arranjo. Com 16 já era músico profissional nas noites de São Paulo, mesmo estudando e trabalhando em banco. Nesta época, monta um quarteto com Theo de Barros (baixo), Flavio Abbatepietro (trompete) e José Luis Schiavo (bateria). Seu piano esteve por muito tempo atrelado à genialidade de Elis Regina. Cesar Camargo, sempre sabendo o que queria, manteve ao longo da sua carreira uma atitude firme, discreta e elegante, se apresentando só ao piano, em duo, trio, sexteto, octeto, orquestra e acompanhando grandes cantores. Hoje, é um grande produtor, homem de estúdio. Elegante, é dessa forma que Cesar Camargo abraça esse desafio de buscar na memória os principais momentos da sua carreira. Não é uma biografia, é um livro de memórias como diz o subtítulo. Como ele foi protagonista, e, até antagonista da MPB nesses últimos 50 anos posso dizer que é um livro revelador que preenche algumas lacunas ainda obscuras do período. É um livro leve, gostoso e elegante. Recomendo.


terça-feira, 12 de julho de 2016

Balanço da Bossa - Augusto de Campos - 1968



* Augusto de Campos (São Paulo - 1931), poeta, tradutor, ensaísta, crítico de música e literatura, junto com seu irmão Haroldo de Campos e Décio Pignatari iniciam no início dos anos 1950 o movimento de "Poesia Concreta" no Brasil. Neste livro "Balanço da Bossa" Augusto de Campos compara a ruptura que a "Bossa Nova" promove com a música praticada no Brasil até o início dos anos 1960 com a segunda ruptura, ou quem sabe a sua evolução, que foi o "Tropicalismo". Óbvio que Augusto de Campos foi um crítico contemporâneo desses movimentos. Através de seus suplementos literários, no olho do furacão Bossa Nova, MPB, Tropicalismo, Augusto de Campos, como numa defesa de tese de mestrado acadêmica nos faz pensar: "Por que não?"


A Canção No Tempo - Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello - 1998



* Neste livro, Jairo e Zuza analisam, comentam e dão o testemunho de como foram feitas as músicas e a motivação que levou os compositores a gravarem essas pérolas da MPB (Música Popular Brasileira) de 1958 a 1985. É quase um livro de pesquisa, embora o texto seja leve, com diversos depoimentos dos protagonistas. Ano a ano as músicas em questão são dissecadas e contextualizadas. Aviso aos navegantes: não são as músicas de maior sucesso no período: quem vendia disco e bancava essas pérolas nas gravadora eram Roberto Carlos, Waldick Soriano, Paulo Sérgio, Agnaldo Timóteo, Nelson Ned, etc, chamados "bregas". Mas, aí, já é outro papo.

Beco das Garrafas - Marcelo Cerqueira - 1994



* Marcelo Cerqueira, carioca do Grajaú (1938), cursou a Faculdade Nacional de Direito da UFRJ. Em 1963 se envolve com o movimento estudantil militando pelo PCB e se elege vice-presidente da UNE (União Nacional dos Estudantes). Formado, se torna advogado de presos políticos. Em 1978 é eleito Deputado Federal pelo antigo MDB. Em 1989 volta a advogar, e, se torna, em 2000, presidente do IAB (Instituto dos Advogados do Brasil). Mas, o melhor do Cerqueira, não é o seu envolvimento político com suas idéias contundentes e sim a sua verve para a literatura e pesquisa. O seu texto  é aparentemente simples, de fácil acompanhamento. Neste livro, através de suas crônicas, ele relata um momento importante de Copacabana e a Bossa Nova. Ele fala sobre o Beco das Garrafas e arredores. Bom livro.


Eis Aqui Os Bossa Nova - Zuza Homem de Mello - 2008



* Em 1976, Zuza Homem de Mello conversou com diversos músicos, cantores e compositores sobre os desdobramentos da "Bossa Nova". Foram diversas entrevistas com personagens que participaram diretamente ou foram influenciados pelo movimento. Como consequência desses depoimentos Zuza lança a primeira edição desse livro em 1976. Em 2008 ele volta ao assunto e constata que a opinião dos participantes não mudou muito e relança o livro com poucas observações. Para quem gosta do assunto é um livro gostoso de se ler.